Por Lu Valim, em 30 de junho de 2014 – Coluna Fitness.
Biotipos físicos… Qual o seu?

Colunista: Rapha Laus

Muito se comenta sobre os biotipos físicos e as características individuais de cada um, o que chamamos de individualidade biológica. O padrão de imagem corporal estabelecido pela mídia tem levado cada vez mais as mulheres à procura das tão sonhadas “curvas ideais”, para isso o apelo às mesas cirúrgicas, as clínicas de estética e as academias tem aumentado consideravelmente no decorrer dos anos, e com isso vem a boa notícia: que além do apelo à imagem, novos hábitos para uma vida saudável ganha espaço dentro da maioria dos objetivos: que é a estética corporal.

A definição dos biotipos é bastante teórica na avaliação e auto-avaliação da imagem, ela pode ter utilidade para determinar o tipo de especialidade esportiva em que melhor o indivíduo se enquadra, bem como orientar quanto às dificuldades e facilidades de um indivíduo nas questões de treinamento e dieta alimentar.

Segundo os estudiosos não existem biótipos puros, somos uma mistura de todos, mas com predominância de algum SOMATIPO. Podemos encontrar três biótipos diferentes, são eles: ectomorfo, mesomorfo e endomorfo.

Indivíduos Ectomorfos são difíceis de aumentarem o peso corporal. Em termos de massa muscular, possuem maiores dificuldades para a hipertrofia. De característica longilínea, possuem braços e pernas longos, baixa porcentagem de gordura corporal. Como exemplos: Gisele Bündchen, Ana Botafogo, Mateus Solano.

Já os Mesomorfos são conhecidos por ganharem massa muscular mais rapidamente que a maioria das pessoas e da mesma forma podem perder gordura com mais facilidade seguindo uma dieta apropriada. Possuem boa postura, são simétricos. Essa é uma boa notícia para os atletas e simpatizantes do mundo fitness, já que esse é o biotipo da maioria dos bodybuilders. Como exemplo: Juliana Salimeni, Cléo Pires, Arnold Schwarzenegger, Caio Castro.

Na predominância endomorfa são geralmente mais pré-dispostas a um maior acúmulo de gordura, possuem dificuldade em atingir modelos estéticos através da dieta e do treinamento. Tem uma característica forte que é a estrutura óssea larga, que pode se apresentar como vantagem em processos de hipertrofia muscular. Quanto à alimentação, haverá um cuidado especial na ingestão de alimentos para evitar o sobrepeso. Como exemplo: Jay Cutler, Preta Gil.

Existe diferença no treinamento?

Não. A rigor não existem diferenças para o treinamento com base em biotipos, e sim com a alimentação, o que existe é a facilidade e a dificuldade de um determinado biótipo em atingir seu objetivo.

Há de se considerar sobre a influência dos biotipos nas modalidades esportivas, que dentro da individualidade biológica haverá outras variantes que determinará as facilidades e as dificuldades de um indivíduo e a aptidão para determinado esporte, como a quantidade de fibras de contração lenta (fibras vermelhas, do tipo I – fibras com alta capacidade oxidativa, geralmente em grande quantidade relacionada à genética de atletas em modalidades que exijam resistência, de longa duração), e a quantidade de fibras de contração rápida (fibras brancas, do tipo II – fibras geralmente em grande quantidade relacionada à genética de atletas em modalidades que exijam tensão muscular, força). Os atletas de endurance (resistência), treinados, por exemplo, possuem fibras de contração lenta maiores que as fibras de contração rápida existentes no mesmo músculo.

Dica da Personal!

Potencialize o treinamento do seu biotipo, lembre-se: um indivíduo com característica ectomorfa nunca irá se transformar num mesomorfo, e assim por diante. Trabalhe os pontos negativos com uma atenção maior. Encontre no seu corpo os pontos positivos e os favoreça, padrões estéticos de beleza são relativos, o que agrada a uns, não agrada a outros. Reconhecer o seu biotipo, estabelecer novos hábitos alimentares e disciplina no treinamento com certeza fará com que faça “as pazes com o espelho”, encontrará suas aptidões físicas e descobrirá uma nova maneira de ver seu corpo como ele é.

Instagram da Rapha@raphalaus_personal

E-mail: rapha.laus@hotmail.com

Por Lu Valim, em 23 de junho de 2014 – Estética e Entrevistas.
3 dicas para estar #sempreembusca

Olá pessoal!

Hoje teremos o privilégio de ter a participação da Carolina Coppi! A Carol é engenheira química e cursa mestrado no UNICAMP, mas eu a conheci através do seu Instagram @sempreembusca. Esse projeto surgiu para motivar e também para mostrar que é possível trabalhar, estudar e ter uma vida saudável, em busca de um corpo bonito.

A Carol morou por quatro meses no Canadá e pagou o preço de ter uma alimentação desregrada. Quando retornou ao Brasil ela começou a fazer exercícios físicos por prazer, e não porque achava que precisava emagrecer. Ela experimentou vários tipos de dieta, tomou como remédios, shakes prontos e vivia no efeito sanfona. De alguns anos para cá que percebeu que só iria conseguir atingir os seus objetivos combinando treinos e alimentação regrada e é o que ela faz desde então.

O Instagram da Carol é inspiração pura, por isso a convidei para nos dar algumas dicas! :D

3 dicas para estar #sempreembusca – por Carol Coppi

A primeira delas é organizar a sua alimentação, de acordo com sua agenda. Por isso, é sempre bom manter os lanchinhos saudáveis por perto.. Assim você evita de cair em tentação, e não tem a desculpa de falta de tempo para comer direito!

A segunda dica é incluir atividades físicas na nossa rotina.. seja uma caminhada, uma aula de ginástica, musculação… e insistir!! Assim, a longo prazo, o exercício passa a ser um hábito, e você começa a sentir necessidade dele no seu dia a dia.

A minha última dica é não desistir. Tem dia que são mais difíceis e acabamos caindo em tentações… devoramos um chocolatinho, ou uma lasanha… mas não podemos deixar que nossas falhas superem nossa força de vontade de continuar. Errou? Ok, é hora de começar de novo e não desistir!

Nada como começar a semana com dicas motivacionais, né?
Obrigada Carol por compartilhar as suas dicas com a gente! E que a gente continue sempre em busca de uma melhor alimentação e de uma saúde perfeita!

Beijos da Lu

Por Lu Valim, em 18 de junho de 2014 – Moda e Beleza.
Botas Andreia Nunes

Olá!
Hoje quero compartilhar com vocês um super achado! As lindas botas Andreia Nunes são fabricadas no Rio Grande do Sul e tomam espaço nos closets do Brasil todo.
A designer Andreia Nunes inspirou-se nas botas australianas UGG e criou o que todas nós brasileiras amamos: botas com muito conforto e estilo!

A criação começa pelo processo semi-artesanal de produção: por ter cano de tricô, as botas são manuseadas uma a uma. Achei sensacional  a opção do cano de tricô poder ir até o joelho, ficar encolhido como polaina ou dobrado, como se você tivesse a cada dia com uma bota diferente. ;)
A marca vem evoluindo e se adaptando ao bom gosto da estação mais charmosa do ano!

ANDREIANUNES8

Agora olhem que MÁXIMO essa linha especial para a Copa: verdes!
Só que são poucos pares para esta edição do mundial, que já estão lá na loja virtual: andreianunes.com.br.

O estilo e o tom despojado ficam por sua conta e criatividade!

Gostaria de agradecer a Andreia Nunes pela gentileza de me enviar a bota, e já deixo claro, é a primeira de muitas! Rsss..

Amei!!! :D

Pra quem quiser adquirir a sua, basta clicar entrar em www.andreianunes.com.br 

Instagram: @andreianunesdesign

Fanpage: Andreia Nunes

Beijos da Lu ;)

Por Lu Valim, em 17 de junho de 2014 – Receitas Fit.
Molho de tomate

Colunista: Bia Nauiack

Uso muito molho de tomate caseiro em minhas receitas, então pensei que seria muito bom oferecer essa receita aqui no blog. Quando comecei a cozinhar, eu não acertava o molho de tomate nunca, colocava mil temperos, óleos, tomate pelati (aquele em lata) e sempre ficava péssimo.
Depois de dezenas de tentativas e observando umas cozinheiras por aí, dei-me conta que para um bom molho de tomate é preciso ingredientes naturais de qualidade e muitas horas de fogo. Um braço forte para ficar mexendo também ajuda!
Eu uso esse molho em tudo: pizza, molho para massa sem glúten, é a base das minhas sopas, recheio de omelete…

MOLHO DE TOMATE

Ingredientes:

  • 3 kg de tomate italiano (aquele mais compridinho), orgânico é muito melhor, liquidificados
  • 3 cebolas médias em pedaços pequenos ou liquidificadas
  • 1 cabeça de alho picada
  • 1 colher de sopa de azeite de oliva ou outro de sua preferência
  • sal a gosto
  • vinagre branco ou ketchup o quanto achar necessário para tirar a acidez, não exagere (uso 1 a 2 colheres de sopa)

Preparo:

  • Coloque as cebolas e o azeite numa panela bem alta, deixe-as murchar em fogo médio e acrescente o alho
  • Quando começar a dourar, acrescente o tomate liquidificado, aumente o fogo até que comece a ferver. Mexa.
  • Baixe o fogo para médio e cozinhe, mexendo sempre (eu mexo de 15 em 15 minutos)
  • Tempere com o sal por volta de 2h de fogo e continue fervendo e mexendo (coloque pouco sal e depois coloque mais se precisar, o volume do molho vai diminuir e a quantidade de sal por cm³ vai aumentar!)
  • Acrescente o vinagre para tirar a acidez
  • Dá um total de 4 a 5 horas de fogo
  • Está pronto quando tiver evaporado a água ou quando gostar da consistência do molho
  • Rende 6 a 7 xícaras de molho de tomate denso (por volta de metade do volume inicial)

 

Faço essa receita mais ou menos uma vez por mês, congelo em porções de 1 xícara e vou descongelando conforme necessito.
Eu gosto de molho de tomate consistente, por isso deixo secar bastante a água do molho.
Uso o tomate inteiro para fazer o molho, só tiro aquela parte do cabinho. Afinal, o tomate é todo gostoso!!!!
Molho de tomate caseiro é tudo de bom! Cheio de nutrientes, gostoso e SEM açúcar!
É demorado mas vale cada colherada depois!!!!!
Beijos,

Beijos,
Bia . Eat Lean . @eatlean

eatlean@hotmail.com

Por Lu Valim, em 16 de junho de 2014 – Coluna Nutricional.
Dúvidas sobre alimentos termogênicos?

Colunista: Nutricionista Melissa Santos

Os alimentos termogênicos possuem um efeito térmico o que induz o corpo a gastar certa quantidade de energia durante o processo digestivo e assim, várias calorias são queimadas. Quanto mais difícil a digestão, maior o valor termogênico do alimento e maior o gasto calórico para processá-lo, acelerando o metabolismo naquele momento. Em outro extremo, possui baixo valor termogênico o item que é consumido rapidamente e cujo teor de carboidratos é também absorvido com a mesma velocidade – podendo, então, aumentar o depósito de gordura.

Quais os principais alimentos termogênicos e de fácil acesso ao consumidor?
Pimenta-vermelha, gengibre, vinagre de maçã, chá verde, cafeína, guaraná em pó, aspargos, vegetais fibrosos (brócolis, acelga, couve), gorduras vegetais e, em especial, as que contém Ômega-3 (bacalhau, salmão, arenque, sardinha, anchova) e Ácido Linolêico Conjugado (nutriente encontrado na carne bovina, de peru e em alguns laticínios).
A maioria das proteínas vegetais e animais possui grande valor termogênico, exceto as preparadas em forma líquida (como os shakes). Os carboidratos (pão branco, massas, e produtos à base de glicose, maltose, sacarose e lactose), por sua vez, não apresentam essa característica.

Por que a água gelada é tida como termogênica?
Beber, por exemplo, de oito a dez copos diários de água gelada queima cerca de 200 calorias, porque o organismo gasta energia para elevar o líquido de 5oC para 37oC, que é a temperatura corporal interna.

Como estes alimentos podem realmente ajudar a emagrecer?
Um plano alimentar bem elaborado e supervisionado por um nutricionista, esses alimentos podem ser incluídos no dia-a-dia. Mas a quantidade a ser ingerida depende das características pessoais, identificadas após uma avaliação nutricional. Devemos respeitar a individualidade bioquímica de cada organismo.

Qual é o melhor meio para que eles tenham efeito?
Os alimentos termogênicos são responsáveis por cerca de 10% do gasto total de energia. Quando os alimentos possuem condimentos, esse efeito é prolongado ainda mais, fazendo com que mais calorias sejam queimadas.

Qual é o melhor alimento termogênico para comermos antes e depois do treino?
Durante o treino podemos ingerir chá verde, que além de efeito termogênico, apresenta efeito antioxidante, diminuindo a produção de radicais livres e consequentemente o envelhecimento.
Pós treino consumir alimentos ricos em proteína.

Melissa Santos
Nutricionista – CRN 1426

Pós graduada em Nutrição Esportiva – UGF, Pós graduada em Fisiologia do Exercício – UGF, Pós graduada em Nutrição Clínica Funcional – CVPE e Pós graduada em Fitoterapia Funcional – CVPE.

melinutri@gmail.com
Contato: (41) 3015-4431 e (41) 3285-3449.

Página 1 de 3123