Por Lu Valim, em 21 de outubro de 2015 – Dicas Ideais.
O papel paterno no parto e na vida do bebê

Olá!
Quero dividir com vocês a matéria que fiz para a Revista Doce Nascer. A Doce Nascer é para toda a família! Para o papai e a mamãe, para as gestantes e todas as mulheres que estão sonhando com a maternidade.

Nessa edição, falei sobre o papel paterno no parto e na vida do bebê. Confiram!


Sentimentos como ansiedade, nervosismo e preocupação tomam conta de qualquer homem quando o dia do nascimento do herdeiro (a) está próximo.
O desejo de participar do processo do nascimento do nosso filho surgiu do meu marido e confesso que me senti mais segura sabendo que eu teria esse apoio emocional. Ele vivenciou uma experiência única na assistência ao parto e sempre manifesta uma alegria imensa ao contar os detalhes do grande dia.
O envolvimento do meu marido já na gestação foi de extrema importância para mim; a sua presença serena e a energia amorosa reforçavam ainda mais a minha confiança para um parto tranquilo.
A equipe de saúde da sala de cirurgia teve um papel importantíssimo na hora de incluir o meu marido, todo o momento. Ele foi instruído e se sentiu capaz de desempenhar o seu papel com tranquilidade.
Acredito que o fato do pai ser acompanhante, no que diz respeito à presença e ao profundo significado de vivenciar essa experiência de doação e puro amor, proporciona um suporte emocional à mulher e cria uma sintonia pai-filho importantíssima para toda vida. Com uma maior participação da figura paterna, vínculos mais sólidos e solidários são estabelecidos, o que certamente resultará em crianças emocionalmente mais ajustadas, seguras e felizes!

A Revista acredita que é através de experiências reais que podemos de fato aprender e ensinar que não existe uma fórmula mágica para criar nossos filhos, mas sim diferentes pontos de vista e maneiras de amar. Eu concordo, e você?

Um comentário sobre o Post O papel paterno no parto e na vida do bebê


  1. Catarina

    Oi Lu concordo inteiramente. Vivo em Macau, na China e aqui infelizmente o normal é o pai não participar do parto, tendo a gestante que fazer um requerimento especial caso queira que o mesmo esteja presente…
    Também a nível laboral não há qualquer licensa de paternidade e a licensa de maternidade não chega a 2 meses…
    Beijo

    meu blog: http://uniquemacau.blogspot.com

    Responder

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado